Ijuí/RS - Quarta-feira, 23 de Junho de 2021
Manchetes
Ação integrada da Receita Estadual e PGE em Passo Fundo gera ingresso de R$ 58 milhões aos cofres públicos
Prisão de foragido por furto qualificado em residência em Ijuí
Coronel Barros faz terceira doação do ano ao HCI
Operação Alquimia é deflagrada em Ijuí contra organização criminosa que atua na falsificação, transporte e comercialização de agrotóxico
Boletim epidemiológico divulga mais dois óbitos em Ijuí
Comando da BM participou de Sessão da Câmara de Ijuí esclarecendo episódio ocorrido no início do mês
Problemas de iluminação pública seguem em Ijuí após administração municipal adquirir reatores e lâmpadas, mas produto que chegou era recondicionado
Aumenta em Ijuí e região o número de golpes de empréstimos consignados
Ao falar dos 86 do HCI, presidente da instituição afirma que situação do hospital está evoluindo com realização de auditorias
Maioria dos óbitos em Ijuí em junho está na faixa dos 50 aos 67 anos
Ijuí-RS
O tempo agora
20 de maio de 2021

Vereador Rodrigo Noronha definiu como inusitada e confusa solicitação da colega Bruna Gubiani na sessão de segunda feira na Câmara de Ijuí

O Vereador Rodrigo Noronha  (PP) definiu como inusitada e confusa a solicitação da colega Bruna Gubiani na sessão de segunda feira, quando pediu questão de ordem para perguntar se poderia circular no recinto da câmara portando arma. Na ocasião, Noronha levantou-se e ergueu a camisa, mostrando que ele não portava arma, embora tenha licença para isso.

Disse que não costuma andar armado em locais públicos e que aprecia praticar tiro ao alvo, como forma de relaxar após uma semana de trabalho intenso. Revelou que possui porte há 24 anos, renovando o documento conforme preconiza a lei, mas que jamais ostentaria a arma como forma de intimidação.

Para poder ter uma arma, a pessoa precisa abdicar de muitas coisas, contou o vereador, que se considera um cidadão de bem e que jamais atirou em um semelhante, alegando que carrega a arma para o caso de precisar se proteger ou defender algum familiar em situações de perigo.

Ele lamentou o episódio ocorrido segunda feira, enfatizando que respeita a colega de legislativo,  com quem inclusive conversa nos corredores sempre que possível, negando ter uma postura fascista conforme escreveu a vereadora em carta aberta publicada pelo mandato do Coletivo.

Fonte: Rádio Repórter
voltar
© Copyright 2019