Ijuí/RS - Sábado, 28 de Maio de 2022
Manchetes
São Luiz busca primeira vitória fora de casa na Série D neste sábado
Polícia Civil deflagra operação de combate a violência contra a Mulher
Capitão Stivanin avalia início do trabalho em Ijuí
SMMA inicia amanhã as ações que marcam o mês do meio ambiente
Campanha do agasalho segue em Ijuí com mais uma ação em praça pública
Chuva faz aumentar em 300% número de chamados para reparos em estradas do interior
Secretário Cláudio Souza assume presidência do Conseme
HCI atuará em benefício dos servidores da BM e da Modulada
Audiência virtual do TJ-RS é interrompida após homem aparecer sentado nu em vaso sanitário
BM cumpriu mandado de prisão no bairro São Paulo
Ijuí-RS
O tempo agora
17 de junho de 2020

Sindicato Rural aponta o agronegócio com boas perspectivas em Ijuí

O momento vivido pelo agronegócio, foi assunto com o presidente do Sindicato Rural Patronal de Ijuí, em conversa no Fatorama. O segmento não registra maiores alterações em função da pandemia, pois sempre caminhou com as próprias pernas, de forma independente, explicou Ércio Eickhoff.

É inegável que a estiagem teve efeito devastador sobre as culturas de verão e isso reflete também na introdução da safra de inverno. No entanto há expectativas otimistas para o trigo que chega a ocupar o dobro da área comparativamente ao ano passado.

Segundo o dirigente, de 7 mil hectares com trigo em 2019, ljuí deu um salto para 15 mil hectares com o cereal, com o produtor só não plantando mais devido a falta de semente. Um dos motivos para a elevação da área de plantio, é o preço, que atualmente está em R$ 54,00 por saca, valor quase compatível com a necessidade de produção.

As demais culturas desta época também tiveram pequeno incremento de área, disse Eickhoff, especialmente a aveia branca. Indagado sobre a realização da Expoljuí neste ano de pandemia, o dirigente disse que a maioria do pessoal do agronegócio é contra. Acrescentou que para o segmento produtivo, o melhor período numa feira, seria janeiro.

Em outubro, o homem do campo está focado na colheita do trigo e preparando a terra para plantar soja, por isso, a participação na Expoljuí não é tão significativa.

O líder sindicalista falou sem muito entusiasmo da volta da Cotrijuí como uma aliada do produtor, considerando que há outras alternativas para vender a produção. Muitos já desistiram, não acalentam mais a esperança de que isso um
dia vá ocorrer, completou Ércio Eickhoff.

Fonte: Rádio Repórter
voltar
© Copyright 2019