Ijuí/RS - Sexta-feira, 01 de Julho de 2022
Manchetes
Estado atinge número de 60 mortes por dengue
Busnello apresenta ante projeto que prevê parcelamento de dívidas dos usuários do Demei
Leoveral de Oliveira é reconduzido à presidência da Associação dos Aposentados de Ijuí
Finais do Futsal Municipal terão transmissão da Rádio Repórter
Conclusão de obras da Corsan possibilita asfaltamento de trecho da rua Jorge Leopoldo Weber
Mais de duas toneladas de alimentos impróprios para consumo são apreendidas em operação em Ijuí
Associação Cultural Canto de Luz define nova diretoria
Sindilojas realiza workshop sobre a Lei de Proteção de Dados
Educação, prevenção e Inclusão. Proerd encerra ciclo de palestras na Apae de Ijuí
Homem acusado de furto mão grande e que estava foragido é preso pela BM
Ijuí-RS
O tempo agora
19 de fevereiro de 2020

Romildo descarta grama sintética na Arena: “Enquanto eu for presidente, não trocaremos”

A grama sintética está ganhando cada vez mais destaque no futebol brasileiro. Após a Arena da Baixada ter instalado gramado artificial em 2017, agora foi a vez do Allianz Parque, estádio do Palmeiras. A alternativa de um novo piso no estádio paulista se deu por conta dos inúmeros shows que ocorrem no local e que acabam impossibilitando que o alviverde atue na sua casa.

 

O investimento do Palmeiras foi de R$ 10 milhões, sendo 70% deste valor pago pela empresa que administra o estádio, a WTorre. Enfrentando muitos problemas com a situação do gramado da Arena nos últimos anos, o presidente do Grêmio, Romildo Bolzan Junior, descartou a possibilidade de mudança.

 

— O Grêmio será o últimos dos moicanos. Enquanto eu for o presidente, não trocaremos a grama natural pela sintética — afirmou.

 

Os altos gastos com a manutenção do gramado natural o tornam mais caro quando comparado com o artificial. Além disso, o sintético tem a seu favor o fato de a grama não ser prejudicada quando estádios como o Allianz Parque e a Arena da Baixada recebem shows ou eventos. No caso da casa gremista, Romildo afirma que a Arena Porto-Alegrense, responsável pela administração do estádio, nunca propôs uma troca de piso.

 

— Os custos (da grama natural) não são tão altos, mas também não são baratos. Principalmente no inverno, quando há a necessidade de manter as luzes artificiais acesas. A Arena nunca nos procurou para que houvesse uma conversa para tratar do assunto de troca do gramado — explicou o presidente. — Particularmente, prefiro o gramado natural. O jogo fui melhor e parece mais bonito. O futebol sempre foi jogado em grama plantada na terra, vamos manter assim — finalizou.

Fonte: Correio Do Povo
voltar
© Copyright 2019