Prefeitos manifestam preocupação com possível privatização da Corsan


Os prefeitos que integram os 11 municípios da região da Associação dos Municípios do Planalto Médio(Amuplam) estão preocupados com a aprovação por parte da Assembléia Legislativa do projeto do executivo gaúcho que prevê a privatização da Companhia de Saneamento do Rio Grande do Sul (Corsan).

Conforme o prefeito de Coronel Barros e Presidente da Amuplam Edson Arnt, há muitas dúvidas no que diz respeito ao que vai ocorrer a partir de agora. Na região pelo menos quatro municípios têm abastecimento próprio de água por meio de poços artesianos e não há ainda clareza sobre como as cidades gaúchas com situação semelhante deverão proceder a partir da venda da estatal.

Reunidos no encontro da associação municipalista nesta semana, os prefeitos decidiram discutir novamente o assunto em encontro a ser realizado nos próximos dias.

Conforme a matéria aprovada na Assembléia Legislativa (AL-RS) o executivo gaúcho poderá vender as ações, perdendo o controle acionário majoritário sobre a companhia. A projeção é para que o leilão da Corsan ocorra no primeiro trimestre de 2022 quando a janela de negócios da Bolsa de Valores será aberta.

Casa Familiar Rural

Na mesma reunião da Amuplam, os prefeitos aprovaram um repasse com valor a ser definido para a Casa Familiar Rural situada na localidade de Três Vendas em Catuípe. A instituição promove a chamada pedagogia da alternância que consiste na troca de experiências sobre o que se aprende na semana de estudos e é colocado em prática quando os jovens estão em casa. A intenção é contribuir para a manutenção dos jovens na atividade do campo, promovendo a sucessão rural.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.