Ijuí/RS - Sábado, 28 de Maio de 2022
Manchetes
Polícia Civil deflagra operação de combate a violência contra a Mulher
Capitão Stivanin avalia início do trabalho em Ijuí
SMMA inicia amanhã as ações que marcam o mês do meio ambiente
Campanha do agasalho segue em Ijuí com mais uma ação em praça pública
Chuva faz aumentar em 300% número de chamados para reparos em estradas do interior
Secretário Cláudio Souza assume presidência do Conseme
HCI atuará em benefício dos servidores da BM e da Modulada
Audiência virtual do TJ-RS é interrompida após homem aparecer sentado nu em vaso sanitário
BM cumpriu mandado de prisão no bairro São Paulo
Executivo de Bozano recebe caminhão adquirido com recursos próprios
Ijuí-RS
O tempo agora
10 de maio de 2020

Petrobras sobe preço da gasolina pela primeira vez após pandemia

Após uma sequência de cortes, a Petrobras aumentará em 12% o preço da gasolina em duas refinarias a partir desta sexta-feira. É o primeiro reajuste positivo desde o início da pandemia do coronavírus, que derrubou as vendas de combustíveis e as cotações do petróleo no mundo.

 

Após o reajuste, o litro da gasolina será vendido pelas refinarias da estatal, em média, a R$ 1,02, voltando ao patamar acima de R$ 1 pela primeira vez em mais de três semanas. Com 11 cortes antes do reajuste desta quinta, o preço do produto ainda acumula queda de 50% no ano.

 

O repasse do reajuste ao consumidor depende de políticas comerciais de postos e distribuidoras. Segundo a Petrobras, o valor de venda da gasolina em suas refinarias equivale a 18% do preço final do produto, o restante é composto por impostos e margens de distribuidores e revendedores.

 

O preço do diesel ficará inalterado. Acompanhando a queda das cotações internacionais do petróleo após o início da pandemia, a Petrobras já reduziu em 38% o valor de venda do combustível em suas refinarias em 2020.

 

A estatal vem tendo dificuldades para desovar seus estoques de gasolina e chegou a consultar distribuidoras de combustíveis sobre a disponibilidade de tanques de armazenagem para receber produtos temporariamente.

 

Além disso, vem realizando leilões de produtos com desconto para liberar espaço nos tanques próprios, refinarias e terminais. As vendas de gasolina no Brasil caíram 35% após o início da pandemia, mas a Petrobras não pode reduzir significativamente a produção pois precisa produzir gás de botijão, cujo consumo subiu 12% após o início das medidas de isolamento.

 

O repasse ao consumidor da série de cortes de preço, até o momento, foi de 13,7%. Segundo a ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás e Biocombustíveis), o litro da gasolina era vendido na semana passada a R$ 3,929, em média, no país.

Fonte: Rádio Repórter - Diário de Santa Maria
voltar
© Copyright 2019