Ijuí/RS - Quarta-feira, 15 de Julho de 2020
26 de junho de 2020

“Não é brincadeira, não fiquem achando que não dá nada”, alerta ijuiense que pegou o Covid-19 e ficou internado por 7 dias

Em entrevista à Rádio Repórter, o Ijuiense Lucas Hermel, 43 anos que é agente da vigilância ambiental do município relatou como contraiu a Covid-19 e como foi passar pela doença após internação hospitalar durante uma semana.

 

Conforme relatou à Repórter, ele começou a sentir os sintomas há mais de 20 dias, – tosse seca, dor de garganta e de cabeça- foi quando procurou o Centro de Triagem do município e foi diagnosticado com amigdalite e mandado de volta pra casa. Como os sintomas não passaram, e, seu estado de saúde começou a piorar, dois dias depois retornou ao centro de triagem e então agendaram o teste para Covid-19, que é feito a partir da coletas de amostras da mucosa nasal e da garganta.

 

Segundo Lucas, três dias depois de realizar o teste e observando isolamento em casa, já que persistiam os sintomas compatíveis com o novo cornavírus, voltou pela terceira vez ao Centro de Triagem e pediu que fosse encaminhado para internação hospitalar.

 

Ele relatou uma resistência de parte da equipe que o atendeu no Centro de Triagem inicialmente em realizar o teste com ele, e na terceira vez também houve uma resistência em encaminha-lo para o HCI, mas ao insistir que tinha o resultado positivo para Covid-19 e que estava com sintomas muito fortes, especialmente as crises de falta de ar durante as noites e madrugadas, conseguiu que fosse encaminhado dali, de ambulância, para o Hospital de Caridade de Ijuí, no último dia 12, onde permaneceu internado até o dia 19 de junho.

 

O profissional da saúde contou que as crises de falta de ar duravam de 40 a 50 minutos durante madrugada. “Você quer respirar e não consegue, os pulmões comprimem, é uma sensação horrível, querer respirar e tu não consegue, tu entra em desespero, dá um pavor”, relatou Lucas.

 

Durante a internação ele foi tratado com Hidroxicloroquina, Tamiflu, mais antibióticos e corticoides para combater a Covid-19. Um verdadeiro coquetel de medicamentos. Salientou que foi perguntado se ele via problema em receber a Cloroquina, já que o medicamento é alvo de muitas polêmicas no Brasil e ao redor do mundo.

 

Hoje Lucas Hermel está em casa respeitando orientações médicas que dizem que em até três semanas após o inicio dos sintomas o paciente pode contrair de novo ou transmitir o Coronavirus, e por isso foi recomendado ficar em isolamento por duas semanas. Ele segue tomando corticoides, ainda sente um pouco de falta de ar e tem pouca resistência física

 

Para os que não acreditam na gravidade da doença, Hermel recomendou que o pessoal tem que estar consciente, porque  se pegar dependendo da pessoa, a doença vem muito forte. “Não é brincadeira, não fiquem achando que não dá nada, se automedicar não adianta, não brinquem querendo sair de casa para fazer festa, vocês não sabem o privilégio de estar em casa se cuidando”, declarou. Segundo ele passar pela doença é difícil, “só quem passou por isso e lutou sabe que é difícil”. Para as pessoas que se acham fortes e que acreditam que não vão pegar nada de doença, ele dá um conselho final: “nossa prepotência e arrogância de achar que não vamos pegar a covid, esse é o grande erro”.

 

Lucas deixou um agradecimento aos profissionais da ala Covid-19 do HCI e elogiou muito o atendimento recebido. Disse que foi muito bem tratado e cuidado pelos médicos, enfermeiras e fisioterapeutas.

Fonte: Rádio Repórter
voltar
© Copyright 2019