Ijuí/RS - Terça-feira, 05 de Julho de 2022
Manchetes
Prefeitos da região vão a Brasília pela compensação de valores devido a redução de impostos promovida pelo governo Federal
CNM aponta impacto imediato nas receitas municipais de R$ 73 milhões devido a redução do ICMS
Programa em parceria com a prefeitura busca selecionar famílias para receber crianças em suas casas
Óbito de número 300 por Covid-19 foi registrado em Ijuí
Daniel Franco deixa o comando técnico do São Luiz
8° Edição da Expocelb é lançada em Coronel Barros
Novos ritos na Seplan aceleram processos em prol do desenvolvimento
PC apreende 4kg de Cocaína e 1kg de Crack durante abordagem a veículo
Inadimplência de consumidores do Demei ultrapassa R$ 12 milhões
Municipal de Futsal conhece seus campeões
Ijuí-RS
O tempo agora
23 de junho de 2022

Justiça eleitoral prevê tempo maior de votação devido a mudança no processamento do voto na urna eletrônica

O juiz titular da 1ª Vara Criminal de Ijuí e que neste ano também será o juiz eleitoral na região de atuação da 23ª Zona Eleitoral Eduardo Giovelli avaliou em entrevista no Fatorama como muito positivo a retomada dos trabalhos da justiça gaúcha, inclusive com a realização de audiências e sessões de forma presencial. O magistrado lembrou que a pandemia deixou muitas consequências no judiciário, mas quem acompanha os trabalhos cotidianamente está vendo a retomada das atividades.

Lembrou da grande notícia dos últimos dias que versa sobre a conclusão da digitalização dos processos na justiça estadual de Ijuí com mais de 13 mil processos digitalizados o que ultrapassa o número de três milhões de folhas digitalizadas. “Todos os processos agora são integralmente eletrônicos/digitalizados e isso foi também uma consequência da pandemia que fez com que a programação de implantação que seria gradativa ser acelerada e concluída bem antes do prazo previsto”, comentou. Lembrou que o trabalho foi concluído antes do esperado em Ijuí o que propiciou às equipes que estavam digitalizando na comarca local auxiliar outras comarcas na região.

 

Para Giovelli a digitalização dos processos irá contribuir para a celeridade no andamento do processos porque várias etapas que antes existiam no processo físico agora não existem mais o que resulta no melhor andamento dos tramites legais,  além do aspecto da publicidade, que agora, a partir  do número do processo há a possibilidade do interessado fazer a consulta da sua própria casa. “Ate a movimentação de pessoas no fórum diminuiu muito, até por que temos o balcão virtual, onde através do contato eletrônico via WattsApp as pessoas da comunidade e advogados obtém as informações que necessitam – o que facilitou o trabalho de informação à comunidade”, disse.

Em relação às audiências, pontuou que voltaram a ser presenciais, mas à medida da necessidade faculta-se a realização on-line e observou que na questão que envolve apenados do sistema prisional, as audiências são on-line para os casos onde há possibilidade de redução de custos para o Estado. Quanto as sessões do Tribunal do Juri, disse que estas são presenciais, especialmente na 1ª Vara Crime de Ijuí. O juiz criminal destacou a retomada da normalidade na realização dos juris salientando que o represamento que existia – devido a pandemia, deverá ser extinto até o final do ano, tendo em vista várias sessões do tribunal que já estão aprazadas. “Minha expectativa é encerrar  o ano com o passivo de 2022 zerado; essa e a meta da 1ª vara criminal”, afirmou.

O juiz também falou sobre a situação da Penitenciária Modulada de Ijuí(PMI) que na última semana recebeu cerca de 30 presos transferidos do presídio de Santa Rosa. Disse que foi uma situação pontual em função de local insalubre para os detentos cumprirem a pena que fez com que houvesse o acordo de transferência para a PMI, onde os detentos deverão ficar até o final deste ano. Neste período o Sistema Penitenciário Gaúcho deverá resolver a questão estrutural do presídio de Santa Rosa. A vinda dos presos para Ijuí fez aumentar o contingente da Modulada que atualmente tem reclusos cerca de 738 detentos. “É uma situação que está dentro da normalidade, é administrável no sistema prisional”, disse Eduardo Giovelli.

O magistrado que neste ano também responderá pela 23ª Zona Eleitoral lembrou do momento em que a justiça atua na parte burocrática organizacional do andamento do pleito previsto para outubro. Nestes dias está se verificando os locais de votação, segundo ele para averiguar se algum local precisa ser trocado ou se há necessidade de adequações. A justiça eleitoral também trabalha na convocação de mesários e tem o prazo para receber inscrições de interessados em atuar como mesário voluntário na votação.

Anunciou uma grande mudança que a partir deste ano será verificada pelos eleitores e que já vem sendo divulgada pelo Tribunal Superior Eleitoral(TSE) e pelo Tribunal Regional Eleitoral(TRE). O juiz Eduardo Giovelli explicou que nas eleições gerais deste ano serão cinco votos dizendo que é um voto mais complexo e por isso lembrou a importância da cola para o eleitor.

A mudança deste ano tem a ver com a aparição da foto do candidato escolhido pelo eleitor. A partir do momento da digitação do numero do candidato, a urna irá processar por três segundos para que o eleitor possa confirmar o voto; e neste tempo irá carregar a fotografia do candidato, só então, o eleitor poderá confirmar e ir para o próximo voto. “Só nesta questão serão pelo menos 15 segundos para que o eleitor conclua a votação, por isso a a cola virá a ajudar”, frisou.

Como o cadastro de eleitores foi finalizado em maio, agora, a justiça eleitoral aguarda as convenções partidárias para definição e registros de candidaturas. A campanha eleitoral propriamente dita deverá iniciar na segunda quinzena de agosto.

Fonte: Rádio Repórter
voltar
© Copyright 2019