“Infelizmente não cabe ao Demei decidir os percentuais de reajuste”, diz diretor presidente


A Agência Nacional de Energia Elétrica aprovou ontem(19) as revisões tarifárias periódicas(RTPs) de cinco distribuidoras de energia elétrica do Rio Grande do Sul. A autorização tem base no que está disposto na Lei nº 14.385/2022, que determina a devolução, aos consumidores de energia elétrica, dos valores relacionados as ações judiciais que versam sobre a retirada do ICMS da base do Pis/Cofins. Destas, apenas o Departamento Municipal de Energia de Ijuí – Demei, por não possuir ação judicial, não foi contemplado com a redução do tributo federal.

Falando ao Fatorama desta quarta-feira(20), o diretor presidente do Demei Marco Aurélio Sikacz, disse que o reajuste médio para os consumidores residenciais da autarquia ficará em 17,82% e que o percentual será repassado as contas de energia ainda nesta semana, já sendo observado na conta de luz deste mês, já que o reajuste vigorará a partir do dia 22. “Infelizmente não cabe ao Demei decidir os percentuais de reajuste, somos monitorados e fiscalizados pela Aneel que também define o reajuste e trabalhar neste mundo regulado é desafiador”, sublinhou.

O diretor destaca que o processo de formação do percentual é complexo e ressaltou que a autorização de reajuste acontece anualmente no dia 22 de julho. Disse esperar que para o ano que vem a reposição seja mais branda, já que a notícia neste ano não é boa para o Demei e nem para o consumidor.

Sikacz disse que a direção e servidores do Departamento Municipal de Energia estão trabalhando para que o órgão possa permanecer como uma concessionária pública com qualidade de fornecimento. Na mesma revisão tarifária, de acordo com ele, houve a confirmação de que o Demei é uma das melhores empresas do Rio Grande do Sul em termos de atendimento ao seu cliente. Houve incremento de 50% nas solicitações por serviços sendo que a resposta de atendimento dentro do prazo foi de 99.5%. “O Demei também está entre as melhores do Estado em termos de falta de energia e duração das faltas de energia. Isso é fruto do trabalho dos servidores que entenderam a ideia de dar uma resposta célere à comunidade e isso representa muito, pois diminui custos, pagamentos, ressarcimentos ao cliente, por que quanto menos faltar energia, menos o consumidor reclama e menos indenização nós temos que pagar para ele”, frisou.

Na mesma entrevista Marco Aurélio lembrou que nesta quinta-feira(21), acontece audiência pública na Câmara de Vereadores onde os integrantes do Departamento irão explicar a situação da autarquia e como é trabalhar sobre regras e normas, além do desafio de fazer investimentos contando com apenas R$ 12 para cada R$ 100 arrecadados. “É preciso fazer ginástica todos os dias, quebrar a cabeça para encontrar formas de seguir tocando o Demei e oferecer melhorias necessárias para o consumidor”, concluiu.

A audiência pública terá início na Câmara de Vereadores às 18h.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.