Ijuí/RS - Quarta-feira, 04 de Agosto de 2021
Manchetes
Sindilojas Noroeste projeta acréscimo de cerca de 20% nas vendas em Ijuí para o dia dos pais
Vacinômetro mostra números da imunização em Ijuí
Lasier Martins disse na Repórter que voto auditável impresso não é retrocesso e sim uma forma do eleitor saber em quem realmente votou
Começam os preparativos da Semana da Pátria em Ijuí
Ijuí segue vacinação para pessoas de 27 e 26 anos
Ceriluz é campeão no prêmio Aneel, categoria acima de 10 mil unidades consumidoras
Estado lança programa para distribuir incentivos hospitalares de forma mais justa e transparente
Pouca umidade do solo evitou maiores danos na cultura em função das fortes geadas
Lideranças projetam ações para o desenvolvimento de Ijuí
Com alteração no recolhimento de lixo, prefeitura de Ijuí pretende adquirir contêineres para resíduos volumosos
Ijuí-RS
O tempo agora
29 de junho de 2021

Cremers entende que curso de medicina da Unijuí ainda não cumpre critérios para formação de qualidade

Uma radiografia feita nas escolas médicas de todo o país trouxe dados que deixaram preocupados integrantes do Conselho Regional de Medicina do Rio Grande do Sul. Segundo o presidente, Carlos Isaia Filho, desde que houve um afrouxamento das exigências surgiu uma grande quantidade de cursos, muitos sem as condições ideais.

Um dos parâmetros avaliados pelo Cremers se refere a quantidade de leitos para a prática médica e a inexistência de um hospital de ensino onde o futuro profissional possa fazer a especialização entre o terceiro e o quinto ano de seu curso, apontou o presidente em entrevista ao Fatorama.

Entre as cidades gaúchas, o pior cenário foi observado em Erechim, Uruguaiana, Lajeado, Santa Maria, Santa Cruz do Sul e São Leopoldo. No caso de Ijuí, onde existem 189 leitos SUS, a quantidade é vista como insuficiente, considerando que o curso da Unijui tem 50 alunos de Medicina, o que daria apenas 3,8 leitos por aluno, número que fica abaixo da exigência preconizada.

Conforme o presidente, é preciso um trabalho conjugado para mudar este cenário e devolver aos cursos de medicina a qualidade do período anterior a 2015. Indagado sobre as dificuldades na pandemia, doutor Carlos Isaia Filho, disse a totalidade dos profissionais médicos trabalhou com um objetivo, que sempre foi o de salvar vidas, independente do tipo de tratamento exigido em cada caso.

Como recomendação final, o médico lembrou que lavar as mãos, fazer uso de máscara e álcool em gel e observar o distanciamento, continuam sendo medidas importantes para evitar a contaminação.

Fonte: Rádio Repórter
voltar
© Copyright 2019