Ijuí/RS - Quarta-feira, 04 de Agosto de 2021
Manchetes
Começam os preparativos da Semana da Pátria em Ijuí
Ijuí segue vacinação para pessoas de 27 e 26 anos
Ceriluz é campeão no prêmio Aneel, categoria acima de 10 mil unidades consumidoras
Estado lança programa para distribuir incentivos hospitalares de forma mais justa e transparente
Pouca umidade do solo evitou maiores danos na cultura em função das fortes geadas
Lideranças projetam ações para o desenvolvimento de Ijuí
Com alteração no recolhimento de lixo, prefeitura de Ijuí pretende adquirir contêineres para resíduos volumosos
Manifestantes pelo voto auditável impresso se reuniram neste domingo, 01, na Praça da República em Ijuí
Bozano dá inicio a programação alusiva ao Agosto Lilás, mês de prevenção a violência contra a Mulher
Nova empresa de recolhimento de resíduos faz trabalho em Ijuí
Ijuí-RS
O tempo agora
22 de junho de 2021

Ação integrada da Receita Estadual e PGE em Passo Fundo gera ingresso de R$ 58 milhões aos cofres públicos

Uma ação integrada entre Receita Estadual, por meio da Delegacia em Passo Fundo (5ª DRE), e Procuradoria-Geral do Estado (PGE), por meio da Procuradoria Fiscal, resultou no ingresso efetivo de mais de R$ 58 milhões aos cofres públicos. O resultado foi obtido através da cobrança ativa de créditos tributários lançados pela equipe de auditoria da 5ª DRE. A medida está alinhada ao novo modelo de atuação do fisco gaúcho proposto no âmbito da agenda Receita 2030, com foco no estímulo à regularização e ao cumprimento voluntário das obrigações.

“Os resultados alcançados nesta ação demonstram a importância de atuação integrada entre a PGE e a Receita Estadual, desde as autuações até a defesa perante os tribunais, e que todos os investimentos feitos em capacitação e modernização em prol dessa integração e no fortalecimento dos instrumentos de combate à sonegação retornam em benefícios para a sociedade, seja em decorrência do incremento da arrecadação, seja no combate à concorrência desleal decorrente da sonegação”, destaca o procurador-geral do Estado, Eduardo Cunha da Costa.

“Essa ação reforça a importância de destinarmos atenção a todo o ciclo de vida do crédito tributário, desde sua concepção até o efetivo ingresso dos valores, passando por etapas relacionadas à fiscalização, cobrança e processos fiscais”, afirma Ricardo Neves Pereira, subsecretário da Receita Estadual.

Os trabalhos de auditoria haviam sido iniciados a partir da verificação de uma série de indícios nos sistemas de inteligência do fisco e nas informações prestadas nos Documentos Fiscais Eletrônicos, Guias Mensais de Informação e Apuração do ICMS (GIA) e Escriturações Fiscais Digitais (EFD).

A partir disso, em 2018, foram lavrados Autos de Lançamento e constituídos os créditos tributários, que passaram a ser objeto de diversas ações de cobrança ativa, inclusive com visita das lideranças da Receita Estadual à empresa em 2019.

O movimento culminou com o pagamento do valor devido no final de maio de 2021, com redução de multa e juros, conforme estabelecido no Decreto 55.905/21, evitando, por exemplo, a continuidade de processos judiciais – e possível início de outros tantos – que poderiam perdurar por anos até uma solução definitiva e com baixa probabilidade de êxito diante de jurisprudência do Supremo Tribunal Federal (STF) – desfavorável à tese em que se fundamentaram os Autos de Lançamento – que se formou após os lançamentos fiscais.

“O crédito tributário precisa ser administrado com o mesmo nível de qualidade ao longo de todas suas etapas, desde o pré-lançamento até o recolhimento dos valores, em um trabalho integrado, que gere sinergia a todo o processo. Nesse caso, por exemplo, o fato de termos Autos de Lançamentos muito bem fundamentados certamente potencializou as ações de cobrança ativa, proporcionando um resultado expressivo de mais de R$ 58 milhões recolhidos aos cofres públicos”, afirma Elisandro Rogério Sperandio, delegado da 5ª DRE.

​Receita 2030 e atenção a todo
o ciclo do crédito tributário

Mais do que combater a sonegação, a Receita Estadual vem trabalhando com atenção a todo o ciclo de vida do crédito tributário, com evolução significativa em iniciativas no âmbito da fiscalização, recuperação de créditos e processos fiscais. A visão é uma das prioridades da agenda Receita 2030, composta por 30 iniciativas para modernização da administração tributária gaúcha.

Na fiscalização, alguns dos destaques são a especialização e o uso da inteligência artificial, além da intensificação dos programas de autorregularização e de um projeto para controlar o fluxo interno e interestadual de veículos e cargas. O processo de cobrança de devedores também está em reestrutuação, com ações voltadas à especialização da atividade e à integração crescente com órgãos como a PGE e o Ministério Público.

No âmbito dos processos fiscais, a iniciativa Contencioso Just In Time vem promovendo uma profunda revolução no contencioso fiscal, com recordes no julgamento de processos e ações para qualificação e padronização das decisões.

Fonte: Governo do RS
voltar
© Copyright 2019