Notícias > Grêmio

05/07/2017
08:23

Com gol de Ramiro, Grêmio vence o Godoy Cruz e abre vantagem nas oitavas da Libertadores

O gol, que assustou os argentinos, não surpreendeu quem acompanha o Grêmio, apesar da rapidez com que foi marcado.

Meio-campista marcou antes do primeiro minuto de jogo


Embalado, o Grêmio começa a passar por cima até mesmo da maldição das oitavas de final.
 
Nesta terça, em Mendoza, sob chuva durante quase todo o jogo, teve menos dificuldades do que previa e bateu o Godoy Cruz por 1 a 0. Com isso, precisará apenas de um empate no jogo de volta, dia 9 de agosto, na Arena, paa avançar às quartas de final.
 
 
Nacional-URU e Botafogo surgem no horizonte no caminho do tri.

 


Sequer houve tempo para tensão.
 
 
A 45 segundos, Kannemann bateu falta, Lucas Barrios cabeceou para trás, Pedro Rocha adiantou-se ao marcador, cruzou e Ramiro, por trás dos zagueiros, fez 1 a 0.

 


O gol, que assustou os argentinos, não surpreendeu quem acompanha o Grêmio, apesar da rapidez com que foi marcado.
 
 
Foi, na verdade, decorrência de uma das tantas jogadas ensaiadas, que têm ajudado o time a superar um a um todos os seus oponentes, nas três competições em que o clube está envolvido.

 


Consequência, talvez, do impacto provocado pelo gol, o Godoy Cruz desestabilizou-se e permitiu ao Grêmio atuar com a mesma autoridade das partidas na Arena.
 
Luan, bastante recuado, virou quase um armador e passou a servir os atacantes com seus passes.
 
A maioria na direção de Pedro Rocha, que aproveitou sua velocidade para criar quase todos os ataques.
 
 
Lucas Barrios, quase sempre de costas para os marcadores, também abriu espaços para as infiltrações dos volantes.

 


A seis minutos, Edílson arriscou de fora da área, sem direção.
 
Aos 21, em uma das tantas faltas cometidas pelo Godoy Cruz, Edílson acertou a cobrança no travessão. Desatento, o árbitro Victor Carrillo não viu Pedro Rocha ser derrubado na área e deixou de marcar pênalti.
 
 
Lucas Barrios poderia ter ampliado aos 26, mas chegou atrasado no passe de Ramiro.

 


Um esboço de reação argentina ocorreu aos 27 minutos.
 
 
Kannemann resvalou, mas Santiago García não conseguiu chutar.
 
Uma chance clara surgiu pouco depois, em erro de Michel, que forçou Grohe a salv ar com o pé direito arremate de Javier Correa.
 
 
Clara também foi a oportunidade desperdiçada por Garro, que pulou mais do que Edílson e cabeceou com perigo.

 


A essa altura, o Grêmio havia reduzido seu ritmo, também para evitar divididas mais fortes contra os provocativos argentinos.
 
 
Mesmo assim, aos 40, Cortez passou com extrema facilidade por Abecasis, cruzou e Ramiro quase fez mais um gol, desta vez de cabeça

 


Se houve susto para o Grêmio no primeiro tempo foi na entrada de Olivares sobre Grohe, que, como resultado, precisou enfaixar o joelho esquerdo.
 
 
Já nos acréscimos, Lucas Barrios demorou demais para chutar em passe de Michel e a bola saiu a escanteio.

 


O Godoy Cruz pareceu ter guardado para o segundo tempo sua tentativa de reação.
 
Foi o período da partida em que Grohe e os zagueiros mais tiveram problemas com bolas erguidas a todo momento na direção da área.
 
 
Na tentativa de oferecer uma resposta, Renato sacrificou o time ao trocar Pedro Rocha, de atuação destacada, por Everton.

 


Algumas bolas perdidas nas proximidades da área tiraram a paciência do técnico do Grêmio, que cobrou maior atenção dos jogadores.
 
 
Erros de passes eram quase um presente a um adversário limitado que, de outra forma, não oferecia maior risco.

 


O alerta surtiu efeito e o Grêmio retomou a concentração.
 
Já com Fernandinho no lugar de Lucas Barrios, passou a buscar espaços pela esquerda.
 
 
Na única falha de Kannemann, aos 33 minutos, Marcelo Grohe fez outra defesa decisiva em cabeceio de Santiago Garcia.

 


Jailson foi o recurso para reforçar a marcação e segurar o resultado. Sem inspiração, o Godoy Cruz só correu.
 
 
Pelo que mostrou nesta terça, encerrará nas oitavas sua participação na Libertadores.

BUSCA NO SITE

Um valor é necessário.