Notícias > Política

27/06/2017
10:47

"Será que eu tenho que adular o prefeito para conseguir informações?", indaga César Busnello na Câmara

O vereador César Busnello - PSB, mais uma vez foi a tribuna da Câmara,

O vereador César Busnello - PSB, mais uma vez foi a tribuna da Câmara, durante a plenária da última segunda-feira para tecer denúncias contra o poder executivo municipal.

 

De acordo com Busnello, o prefeito de Ijuí, Valdir Heck, procurou um jornal local para falar sobre as funções gratificadas e cargos comissionados no município.

 

"O prefeito diz assim:

 

'vivemos em uma época interessante, mas também não muito construtiva'.

 

Referindo-se ao fato de ter que provar a todo momento que age de forma correta e com respeito.

 

'Com dinheiro meu faço o que eu quero, mas com o dinheiro da sociedade eu emprego da melhor forma',

 

descreveu Busnello, sobre a fala do prefeito.

 

 

"Primeiramente eu quero dizer que não é verdade que o prefeito emprega da melhor forma o dinheiro, isso é uma falácia dele, ele tenta transparecer para comunidade de Ijuí uma coisa, que ele zela pelo patrimônio público, quando na verdade ele não faz isso, e eu tenho documentos que comprovam isso.

 

O primeiro deles é um documento encaminhado a mim, sobre um pedido de informação assinado pelo prefeito e pelo secretário Élio Quatrin.

 

O poder executivo possui 104 funções gratificadas criadas.

 

Foi criada ou não foi criada? Tem?

 

Está aqui, o que gera um custo de R$ 1,2 milhão.

 

Porque se cria 104 FGs e porque se cria 131 CCs?", questiona Busnello, indiganado.

 

 

O vereador ainda disse que o poder público deve ter mais transparência, pois hoje há lei de responsabilidade fiscal e ela exige que toda gestor dê satisfação a comunidade sobre os gastos.

 

"Não precisa o prefeito ficar irritado sobre algum questionamento sobre os gastos públicos.

 

O prefeito disse que não é necessário levar o assunto a tribuna da câmara e que o assunto não foi tratado diretamente com ele.

 

Será que eu preciso ir na casa dele, adular ele, para pedir uma informação que é dever dele de ser transparência?",

 

indaga o edil sobre as ações de Valdir Heck.

 

 

Busnello lembrou ainda a campanha de Valdir, o qual prometeu que ia trabalhar com no máximo 55 cargos e isso não aconteceu.

 

De acordo com secretário de planejamento Rúbio Viécili, os recursos próprios estão cada vez mais escassos e a despesa de pessoal do poder executivo de IJuí está batendo em 70% da receita e existe ainda outrra demandas, fazendo com que sobre pouco para outras despesas.

 

 

"O que o prefeito quer? Que não fiscalize, que não cobre? Teve lei de função gratificada aqui.

 

 

Tem que tratar a coisa pública de forma transparente e com clareza", diz o edil.

 


Fonte: JORNAL HORA H

BUSCA NO SITE

Um valor é necessário.