Notícias > Política

30/03/2017
09:34

Julgamento da chapa deve ser interrompido por pedido de vista

Marcado para começar na próxima terça-feira, o julgamento da ação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que pode levar à cassação do presidente Michel Temer e à inelegibilidade da presidente cassada Dilma Rousseff deve ser interrompido por um pedido de vista. O ministro Napoleão Nunes já sinalizou que deve pedir mais tempo de análise para se debruçar sobre o caso.

 

Com o pedido de vista, aumentam as chances de o julgamento ser concluído com uma composição diferente da atual. Os ministros Henrique Neves e Luciana Lóssio deixarão a corte eleitoral em abril e maio, respectivamente. Devem ser substituídos por Admar Gonzaga e Tarcísio Vieira. No Palácio do Planalto, a expectativa é de que os novos ministros do TSE votem contra a cassação.

 

Nesta quarta-feira, o jornal O Estado de S. Paulo antecipou que o Ministério Público Eleitoral pediu ao TSE a cassação de Temer e a inelegibilidade de Dilma. O processo é considerado por ministros do TSE o mais importante da história do tribunal, de grande complexidade e com impacto direto na estabilidade política do País, o que aumenta as chances de algum integrante da Corte Eleitoral pedir mais tempo para análise.

 

Os números são superlativos: 52 pessoas prestaram depoimentos à Justiça Eleitoral - entre elas, dez ex-executivos da Odebrecht -, os autos foram distribuídos ao longo de 27 volumes, o relatório do ministro Herman Benjamin soma 1.086 páginas - e o processo tem cerca de 7 mil no total.

 

"Se em processos envolvendo cassação de prefeito e governador é comum ter pedido de vista, por que haveria a proibição num caso como esse, que envolve o presidente da República?", afirmou um integrante da corte eleitoral ouvido sob a condição de anonimato. Até a conclusão desta edição, o ministro Napoleão Nunes não havia respondido à reportagem. Ele é o segundo ministro a votar, logo após Herman Benjamin.

 

Um outro ministro dá como certo que o julgamento não terminará na próxima semana, apesar da maratona de sessões - serão duas ordinárias e duas extraordinárias para tratar da ação.

 

 


Fonte: Correio do Povo

BUSCA NO SITE

Um valor é necessário.