Notícias > Dupla Grenal

06/03/2017
10:29

Grandes vencedores do clássico foram os torcedores

Grandes vencedores do clássico foram os torcedores


 

Não há perdedores no Gre-Nal 412, disputado no sábado na Arena.

 

Tanto Inter quanto Grêmio, tiveram motivos para comemorar e também para lamentar após o jogo.

 

Porém, os grandes vencedores do clássico foram os torcedores, que assistiram a um jogo eletrizante e cheio de alternativas.

 

Teve tudo que uma boa partida de futebol precisa: golaços, alternâncias no placar, boas jogadas e, claro, rivalidade.

 

 

Ambos os treinadores acharam que seus times poderiam ter vencido. “Ficou um gosto amargo.

 

Depois da virada, tivemos duas oportunidades para fazer o 3 a 1.

 

Levamos o gol quando tínhamos um a menos em campo, pois perdemos o Carlinhos (lesionado).

 

Acreditava que podíamos vencer a partida”, disse Antônio Carlos Zago.

 

 Renato, bem ao seu estilo, respondeu: “A prova que o Grêmio jogou melhor foi chegar no vestiário e receber o bicho por vitória.

 

Fizeram festa aqui dentro por um empate, porque empataram com um time da Série A. Mas nós estamos tristes.

 

Na minha opinião, foi um massacre”.

Na real, nenhum dos dois têm razão.

 

O empate foi sob medida para a atuação das duas equipes. Até por ter sido na Arena, o Grêmio buscou a imposição desde o começo.

 

Dominou o primeiro tempo, criou as melhores chances e abriu o marcador com Bolaños aos 21 minutos. Por ironia, o gol foi marcado em um lance de contra-ataque.

 

No intervalo, apareceu o trabalho de Zago. Ele trocou Charles e Carlos por Roberson e Nico.

 

O Inter mudou. Passou a acertar passes e envolver o Grêmio.

 

Aos 11, após jogada tramada com a participação do uruguaio e de Brenner, Roberson empatou.

 

Um minuto mais tarde, Uendel, com um toque sutil, deixou Brenner em condições de marcar.

 

O centroavante fez o gol da virada.

Foi então que a estrela de Renato brilhou. Ele primeiro mandou Lucas Barrios para o campo.

 

O centroavante teve uma boa chance de cabeça.

 

Em seguida, aos 22, o técnico chamou o contestado Fernandinho, que entrou no lugar de Pedro Rocha.

 

Em seu primeiro lance, o atacante pegou a bola fora da área, livrou-se da marcação e chutou forte, marcando um golaço.

 

O Grêmio armou uma blitze para cima do Inter a partir do empate, aproveitando-se do fato de Carlinhos estar apenas fazendo número em campo — ele sofrera uma lesão muscular que o impedia de correr.

 

Mas apareceu a organização moldada por Zago e a garra dos jogadores vermelhos. No final, a rivalidade saiu fortalecida por um grande Gre-Nal .


 

BUSCA NO SITE

Um valor é necessário.