Notícias > Dupla Grenal

23/08/2015
22:39

Com gols de Valdívia e Paulão, Inter vence o Atlético-PR por 2 a 0

Foto: CP / Reprodução

O Inter de Argel Fucks massacrou o Atlético-PR. Jogando em casa, o Colorado derrotou o time paranaense por 2 a 0 na tarde deste domingo, no Beira-Rio. Valdívia, aos três minutos do primeiro tempo e Paulão, aos 24 do segundo marcaram os gols da partida. Com a vitória, o Inter chega aos 28 pontos e ocupa a 10ª posição. Já o rubro-negro paranaense, com 30 pontos, fica em 8º.

 

Agora, o Inter "desliga" a chave Brasileirão e volta-se para a Copa do Brasil, onde na quinta-feira, dia 27, vai até Itu, no interior paulista, enfrentar o Ituano. A equipe de Argel pode até perder por 1 gol de diferença que garante vaga nas quartas-de-final. Pelo Brasileirão, o Colorado volta a jogar no domingo, 11h. O time encara o Avaí, que está na zona de rebaixamento.

 

Velocidade, arma mortal
D' Ale, Valdívia, Sasha e Vitinho incomodam muita gente. Com disposição, incomodam, incomodam muito mais. O quarteto do meio campo ofensivo colorado não deixou o Atlético-PR respirar. A marcação adiantada e a compactação facilitaram a troca de passes de forma envolvente. Logo aos 3 minutos, D'Alessandro sofreu falta. O craque argentino foi ligeiro. Lançou, na medida, Valdívia, na direita. O meia colorado se livrou do marcador com facilidade e fuzilou o gol de Weverton. Foi o 14º gol de Valdívia na temporada.


 

O gol animou a torcida e incendiou o time. O Inter deixou a zaga atleticana tonta. Era da direita para a esquerda, da esquerda para a direita. A equipe do Paraná parecia um bicho acuado. Não conseguiu articular jogadas de ataque. Alisson só foi aparecer no jogo - defendendo - aos 41 minutos, num chute de Bruno Mota.

 

Pressão colorada
Leo passou o primeiro tempo livre. Aos oito minutos ele cruzou na medida. Sasha chegou batendo. Weverton fez a defesa em dois tempos. Um minuto depois, Vitinho, na esquerda, colocou o marcador para dançar e bateu. Weverton salvou. Na sequência, o atacante colorado fez o passe para Valdívia, que não conseguiu o domínio.


 

O Inter seguiu amassando o Atlético-PR. Aos 14, Rodrigo Dourado cabeceou e o goleiro paranaense defendeu. Em outro escanteio, Dourado desviou e Sasha, de voleio, arriscou. A bola desviou na zaga e saiu. Aos 33, Leo driblou dois marcadores e cruzou na medida para Sasha. O chute foi travado na hora H.

 

Alisson é citado no jogo
Aos 41, Bruno Mota chutou (o primeiro do Atlético-PR no jogo) e o goleiro colorado defendeu com tranquilidade. Aos 47, Nikão, de fora da área, mandou forte. A bola passou perto, mas o arqueiro do Inter estava bem posicionado.


 

Vitinho the Flash
O atacante colorado continuou infernal no segundo tempo. Logo aos 5 minutos partiu em velocidade e foi derrubado dentro da área: pênalti. D'Alessandro cobrou fraco e Weverton defendeu. A chance desperdiçada empolgou os visitantes. Com Walter em campo, a equipe passou a levar perigo ao gol de Alisson. Mas o ânimou durou pouco. O Inter retomou o controle da partida com facilidade, empurrando o Atlético-PR para trás.


 

Vitinho, aos 17, fez linda jogada. Ele invadiu a área e bateu colocado, com consciência. Faltou sorte. Aos 19, Leo saiu na cara do goleiro. O lateral colorado chutou para fora. Aos 23, Sasha, dentro da área, bateu cruzado, forte. A bola desviou no zagueiro e beijou o poste.

 

Paulão, zagueiro com faro de gol
Aos 24 minutos D' Alessandro cobrou escanteio. Rodrigo Dourado desviou (será jogada ensaiada?) e a bola sobrou para Paulão. Com categoria e calma ele desviou do goleiro: 2 a 0.


 

Controle e Alisson
Depois disso, Argel mudou o time. Satisfeito, tirou Vitinho para a entrada de Alex, o cadenciador. Na sequência, D' Ale deu lugar para Rafael Moura. O Colorado cozinhou o jogo. Atacava quando e como queria. Aos 33, Valdívia, na esquerda, tocou para Alex. O meia encostou para trás, e na hora de alguém chegar para o arremate, a defesa afastou.O time visitante tentou, é verdade, alguma reação. Walter experimentou de longe alguns chutes. Alisson, sempre bem colocado, segurou todas. aOS 43, Cléo tentou. Alisson estava ali. Aos 44, foi a vez de Marcos Guilherme. Alisson, de novo. O time colorado seguiu com o domínio de bola e da partida até o apito final. Argel deu outra cara ao Inter: eficiência na frente e segurança atrás.


Fonte: CP

BUSCA NO SITE

Um valor é necessário.