Notícias > Bairro

13/03/2019
08:12

Contradições marcam depoimento de ex-secretária de Boldrini

Seis testemunhas depuseram no segundo dia do julgamento do Caso Bernardo

Se relatos mais emotivos marcaram a parte da manhã do julgamento dos acusados no Caso Bernardo, momentos mais tensos foram a tônica da tarde desta terça-feira, no Fórum de Três Passos.

 

 

 

Única testemunha arrolada tanto pela acusação quanto pela defesa de Leandro Boldrini, a ex-secretária da clínica do médico, Andressa Wagner, se contradisse algumas vezes quando questionada pelo Ministério Público (MP) sobre a assinatura do ex-chefe, que supostamente estava na receita do Midazolam, medicamento que, conforme a perícia, foi utilizado em superdosagem na execução do menino.

 

 

 

 

O promotor Ederson Vieira questionou incisivamente a testemunha, que trabalhou cerca de cinco anos com Boldrini, sobre as assinaturas presentes em receitas do réu.

 

 

 

 

“A senhora disse que era sempre a mesma, agora vai dizer qual era a dele”, disse, ao mostrar duas assinaturas diferentes.

 

 

 

“A assinatura do doutor Boldrini era bem variada”, comentou Andressa, ao se deparar com os documentos.

 

 

 

“Mas a senhora acabou de dizer que era sempre a mesma”, contrapôs acusação.

 

 

 

O MP seguiu insistindo, mostrando os documentos à testemunha.

 

 

Ela vacilou em algumas respostas, em alguns momentos dizendo que pareciam diferentes, em outros explicando que não recordava qual era a oficial.

 

 

O promotor, então, questionou: “Em algum momento ele reclamou ou chegou ao conhecimento dele que um procedimento tivesse sido feito sem a assinatura dele?”.

 

 

 

Andressa negou: “Ele variava muito nas assinaturas.

 

 

Às vezes, tava com pressa e fazia um rabisco”.

 

 


Fonte: CORREIO DO POVO -POSTADO POR LUIS ARNALDO

BUSCA NO SITE

Um valor é necessário.

Tel: (55) 3332-7744