Notícias > Geral

03/10/2018
16:50

Realizada reunião com defensora pública estadual e presidentes de bairrros sobre problemas com a empresa Rumo

Vereador Júnior Piaia relatou a situação de Cruz Alta, onde o processo de discussão está mais avançado

Trinta e seis cidades do Rio Grande do Sul tem problemas com a RUMO, devido a ocupação de terrenos às margens da rede ferroviária. Ao longo dos anos, muitas famílias construíram suas casas, num processo que se iniciou nos tempos em que a América Latina Logística detinha o controle. Ontem, houve reunião em Ijuí com a participação da defensora pública estadual, presidentes de bairros onde passa a ferrovia, Executivo, Escritório Modelo da Unijuí e Comissão Especial de Habitação da Câmara de Vereadores. O presidente da comissão, vereador Júnior Carlos Piaia, em entrevista ao Fatorama, relatou a situação de Cruz Alta, onde o processo de discussão está mais avançado.

Segundo ele, passado o susto inicial, o momento agora é de sensibilizar as autoridades para o problema social que estará sendo criado, se de fato estas famílias forem retiradas desses locais. Em Brasília, o assunto está na Câmara de Conciliação da AGU a pedido do deputado federal, Darcísio Perondi.

Três reuniões já foram realizadas, definindo que novos processos não serão ajuizados pela RUMO enquanto o assunto não estiver melhor encaminhado, inclusive com a reavaliação da área de domínio. Baseado nos avanços obtidos por Cruz Alta, Piaia entende que Ijuí possa trilhar pelos mesmos caminhos em busca de uma solução, embora com um pouco de atraso.

Segundo ele, a negociação deve envolver todos os municípios individualmente, junto com o pedido de suspensão da tramitação de todos os processos de reintegração. Após a reunião, o grupo foi visitar o prefeito Valdir Heck, que colocou a estrutura do município à disposição. Destacou o interesse da RUMO em fazer a negociação, desde que as cidades envolvidas com o problema estejam organizadas.

A hipótese de retirada dos trilhos da área central das cidades não está em cogitação, informou o vereador. Sobre seu modo de atuar como legislador de oposição, Júnior Piaia, disse que as críticas tem como objetivo, construir saídas para superar a crise.

Entende que na falta de recursos para investir, é preciso utilizar a verba existente com planejamento, de forma que possa haver um rendimento maior. Sem capacidade, o município tem tentado no sistema financeiro, saídas para poder realizar as obras que a comunidade precisa, concluiu Júnior Piaia.


Fonte: Redação.

BUSCA NO SITE

Um valor é necessário.