Notícias > Geral

25/06/2018
13:55

Secretário de Saúde expõe dificuldade financeira devido atraso no repasse de recursos do Estado

Crédito: Reprodução/Internet

Secretário de Saúde do município expôs algumas dificuldades que a pasta enfrenta, embora o investimento seja superior a 25% do orçamento, alcançando quase R$ 70 milhões/ano. Segundo Josias de Abreu Pinheiro, mensalmente são realizados em torno de 7.500 atendimentos. Como maiores problemas, o secretário aponta primeiro os valores defasados pagos pela União e o repasse de recursos sempre atrasado do Estado, o que reflete na realização de exames de alta complexidade, como tomografia e traumatologia, e cirurgias.

 

 

Citou também a sobrecarga no pronto- atendimento, especialmente de madrugada quando a equipe profissional é menor, provocando às vezes alguma demora. Falou do esforço para mudar o acolhimento, tornando-o mais ágil e menos traumático, enfatizando que isso tem sido um desafio diário. No entanto, o maior desafio a ser resolvido e que gerou alguns processos contra o município, é a regionalização das farmácias onde são dispensados medicamentos básicos. De acordo com o secretário Pinheiro, seriam necessários 20 farmacêuticos, porém, financeiramente, não há como manter esses profissionais.

 

 

Por isso, a administração trabalha no sentido de distribuir estrategicamente os pontos de redistribuição de medicamentos, seguindo exemplo que já seguem outras cidades gaúchas. Ele não soube precisar uma data específica para esta mudança, mas admitiu que poderá ser ainda neste ano.

 


Fonte: Redação.

BUSCA NO SITE

Um valor é necessário.