Notícias > Política

05/04/2018
14:20

Com Lula mais perto da prisão, direção nacional do PT faz reunião em SP

Com Lula mais perto da prisão, direção nacional do PT faz reunião em SP | Foto: Mauro Pimentel / AFP / CP

O julgamento do Supremo Tribunal Federal (STF) deixa o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva mais perto da prisão e, cada vez mais, distante das eleições. Os fatos mobilizaram a direção nacional do Partido dos Trabalhadores (PT) que faz reunião de emergência nesta quinta-feira, em São Paulo. O encontro é para traçar estratégias. 

 

 

À tarde, a cúpula do partido em São Paulo também deve se reunir para definir uma manifestação na cidade. A ideia é denunciar supostas arbitrariedades no processo que condenou Lula e mostrar que o ex-presidente sofreu um julgamento político.

 

 

 

Logo após o voto da ministra Rosa Weber, considerada decisiva no caso, Lula, que acompanhou o julgamento no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC Paulista, comentuo com aliados que está cada vez mais distante de uma nova candidatura à Presidência. "Não iam dar o golpe para me deixarem ser candidato", comentou.

 

 

O comentário foi interpretado por lideranças petistas como uma confirmação de que Lula está fora da disputa eleitoral, apesar de o PT manter o discurso sobre a manutenção da candidatura à Presidência. 

 

 

Julgamento

 

Após dez horas de julgamento, com duas pausas, o STF negou por 6 votos a 5 o habeas corpus da defesa de Lula. Votaram contra o petista o relator Edson Fachin, Alexandre de Moraes, Luis Roberto Barroso, Luiz Fux, Rosa Weber, considerada como o fiel da balança do julgamento, e a presidente do STF, ministra Cármen Lúcia. A favor de Lula votaram os ministros Gilmar Mendes, Dias Toffoli, Celso de Mello, Marco Aurélio Mello e Ricardo Lewandowski.

 

 

O ex-presidente foi condenado em primeira instância pelo juiz Sergio Moro a 9 anos e seis meses de prisão. Na segunda instância, os desembargadores do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) mantiveram a condenação e aumentaram a pena para 12 anos e 1 mês. Lula teve negado os recursos de embargos de declaração. No Superior Tribunal de Justiça não teve sucesso no habeas corpus.


Fonte: Correio do Povo.

BUSCA NO SITE

Um valor é necessário.