Notícias > Geral

09/02/2018
13:50

Ministério Público reúne blocos carnavalescos para acertar conduta durante o carnaval

Crédito: Reprodução/Internet

Promotora da infância e juventude,Marlise Cordenonsi Bortoluzzi, ao participar do Fatorama, comentou acerca da reunião realizada ontem com representantes dos blocos de carnaval, quando houve ajuste de algumas medidas contidas no TAC, em vigor desde 2013. Conforme a doutora Marlise Cordenonsi Bortoluzzi, os participantes foram orientados quanto a presença de menores de 16 anos em eventos carnavalescos e ao consumo de bebida alcoólica. Continua proibida a participação de adolescentes com menos de 16 anos em Qgs, enquanto o público entre 16 e 18 anos, precisa ter autorização dos pais, reconhecida em cartório para poder ficar na festa.

 

 

Reiterou que haverá fiscalização nos blocos, conferindo esse quesito, além da sonoridade, que não pode exceder determinados decibéis. Nos Qgs, o som tem horário para parar: meia noite. Baseada no comportamento dos foliões no ano passado, a promotora acredita que não haverá problemas, pois a maioria respeita as regras. Disse que a Brigada Militar e o Conselho Tutelar tem autonomia para fiscalizar todos os locais, atuando também a partir de denúncias da comunidade. Confirmou inclusive a realização da operação balada segura durante o período de carnaval, cujo papel é evitar a mistura de álcool e direção.A promotora falou ainda do fim do acolhimento de menores no Lar Henrique Liebich, lamentando a decisão. Disse que os internos do local serão realocados para as outras três instituições do município, que no total irão absorver de 11 a 12 crianças.


Fonte: Redação.

BUSCA NO SITE

Um valor é necessário.