Notícias > Bairro

09/08/2017
08:16

Por falta de espaço em presídios, homem algemado aguarda na Delegacia de Santo Augusto

O alerta vermelho soou no final da manhã desta terça-feira

Um preso aguarda algemado na Delegacia de Santo Augusto

O alerta vermelho soou no final da manhã desta terça-feira (08) na Polícia Civil.
 
Um preso aguarda algemado na Delegacia de Santo Augusto por vaga no sistema prisional.
 
 
Conforme informou o Delegado Gustavo Fleury ele não pode ser transferido para nenhum presídio da região, pois o número de detidos está sendo considerado um recorde na superlotação das penitenciárias.
 
 
Pela segunda vez em menos de uma semana os policiais civis de Santo Augusto estão fazendo o trabalho de carcereiros, em virtude de não haver vagas nos presídios da região para encaminhar os presos. 
 
 
O primeiro caso ocorreu no dia 02 de agosto, naquele episódio, o preso, suspeito de participação em um latrocínio, ficou por 24 horas sob a guarda da Polícia Civil em Três Passos.
 
Hoje, o mesmo ocorre com um jovem preso pela Brigada Militar por Maria da Penha no bairro Petrópolis. 
 
 
O presidio Estadual de Três Passos era o destino das pessoas presas em Santo Augusto, no entanto, o mesmo está interditado.
 
 
Os presídios de Ijuí e São Luiz Gonzaga, que eram a segunda opção, também estão com superlotação e não aceitam mais presos da região. 
 
 
 
Sem a possibilidade de encaminhamento do preso, os policiais são obrigados a fazer a escolta do mesmo, que permanece algemado na delegacia de Santo Augusto, que não possui cela nem condições adequadas para a manutenção de presos. 
 
 
Segundo o Delegado Gustavo Fleury, “o Poder Judiciário e o Ministério Público foram comunicados, no entanto, até o momento, não apresentaram soluções”, enquanto isso, a DP permanece com atendimento restrito para a comunidade em virtude do perigo que o preso oferece aos agentes e usuários dos serviços. 
 
 
Nessas horas em que está na DP, o meliante já tentou abrir as algemas com um clips e furtar o celular de um Oficial de Justiça.
 
O “sentimento é de indignação” exclamou o Delegado Gustavo.

BUSCA NO SITE

Um valor é necessário.