Notícias > Segurança

14/07/2017
10:34

Justiça bloqueia bens e honorários de advogado suspeito de aplicar golpe em clientes

Maurício Dal Agnol é acusado de liderar esquema de fraude envolvendo ações judiciais contra a extinta CRT

O magistrado estima que o valor cobrado nessas ações chegue a R$ 170 milhões,

O juiz da 4ª Vara Cível de Passo Fundo Alan Peixoto de Oliveira determinou medidas para garantir eventual ressarcimento a clientes que teriam sido lesados pelo advogado Maurício Dal Agnol.

 

A decisão atende a pedido da Defensoria Pública do Estado movida em 2014.

 

Foi determinado o arresto (apreensão) dos honorários originados de processos de qualquer natureza conduzidos por Dal Agnol.

 

Significa que esses valores devidos a ele deverão ser destinados à formação de um único montante para ressarcir as vítimas.


O advogado é acusado de liderar esquema fraudulento envolvendo participações acionárias da CRT, antiga estatal gaúcha de telefonia e responde a processo na esfera criminal.
 
 
Apenas no Rio Grande do Sul, ele é réu em centenas de ações judiciais, algumas já com trânsito em julgado.
 
 
O magistrado estima que o valor cobrado nessas ações chegue a R$ 170 milhões, enquanto o patrimônio retido de Dal Agnol não ultrapassa os R$ 5 milhões.

 


"Pretende a norma garantir o essencial e a dignidade do destinatário da verba alimentar, e não manter elevado padrão de vida em detrimento das vítimas e do pagamento da dívida", afirma o juiz.

 


Também foi ordenada a expedição de novos mandados de bloqueio de bens e valores em relação a oito empresas, que tem Dal Agnol como sócio: Marmuri Empreendimentos Imobiliários Ltda, MD Rent Locações, Mosagosto Empreendimentos Imobiliários Ltda, Perisul Empreendimentos Imobiliários, Centro Hípico e Haras MD, Diamante Análises de Cadastros Ltda ME, Anaca Análise de Cadastros Ltda ME, Dal Agnol e Fernandes Ltda ME. Ainda são réus no processo Márcia Fátima Da Silva Dall Agnol (esposa do advogado), Marina Dal Agnol (filha) e a empresa Dal Agnol Advogados.
 
 

 


 

Fonte: correio povo

BUSCA NO SITE

Um valor é necessário.