Notícias > Saúde

08/06/2018
14:06

Médica Infectologista Jaqueline de Souza fala ao Fatorama sobre a Toxoplasmose

Médica infectologista da décima sétima Coordenadoria de Saúde, Jaqueline de Souza.

Doença mais frequente do que se imagina, a toxoplasmose, assunto que ganhou repercussão nos últimos meses devido ao surto em Santa Maria, foi tema também no Fatorama, tratado pela médica infectologista da décima sétima Coordenadoria de Saúde, Jaqueline de Souza.

 

 

A médica que em março atendeu dois jovens de Ijuí, moradores de Santa Maria com sintomas da doença, chegou a alertar as autoridades daquela cidade sobre o caso, coincidentemente no momento em que explodiu o surto, que até hoje não encontra explicações quanto à origem.

 

 

Para ela, carnes mal passadas, frutas e legumes não higienizados de forma adequada, representam riscos de contaminação pela bactéria toxoplasma. O gato não é o vilão da história, esclareceu a doutora Jaqueline, embora o parasita precise de um hospedeiro para completar o ciclo, muitas vezes utilizando o felino para isso. Ao eliminar as fezes, o animal pode colocar as pessoas em risco, caso não seja tratado por um veterinário.

 

 

Citou a ingestão de água não tratada como outra ameaça de contaminação, assim como os alimentos produzidos artesanalmente, principalmente salame, cuja defumação nem sempre elimina totalmente o risco. Recomenda lavar as mãos antes de qualquer refeição.

 

 

A toxoplasmose é uma doença assintomática, podendo ser identificada somente através de exame de sangue. Entre os problemas que pode causar estão hepatites transitórias, alterações sanguíneas e visuais. No caso de paciente imunodeprimido há risco de morte, alertou a médica. Os sintomas mais comuns são febre, cansaço, dor no corpo e ínguas. A detecção da doença se dá através de um simples exame de sangue, enfatizou a infectologista Jaqueline Souza.


Fonte: Redação.

BUSCA NO SITE

Um valor é necessário.